segunda-feira, 22 de abril de 2013

O que resta das Muralhas portuenses?


A muralha Fernandina (ou a parte que resta dela) não será certamente desconhecida aos portuenses uma vez que é possível vê-la a partir da famosa Ponte D. Luís. No entanto, também é possível ver na cidade a muralha que a antecedeu, a Cerca Velha construída pelos romanos.
Acredita-se que a Cerca Velha (Ou Muralha Sueva, ou Muralha Primitiva) tenha sido construída no século IX  e reconstruída no século XII quando a cidade foi doada ao bispo D. Hugo. Esta muralha tinha uns míseros 750 metros de diâmetro, 4 portas e envolvia a Sé do Porto e o Morro de Pena Ventosa.  Hoje é visível na Rua de D. Hugo e no Largo do Colégio, perto da Sé, assim como nas Escadas das Verdades (que, curiosamente, se chamaram Escadas das Mentiras até ao século XIV).

Arco das Verdades que fica nas Escadas das Verdades foto daqui


O trecho da Muralha à esquerda da Sé do Porto
foto daqui

Cerca Velha - foto daqui

Com o crescimento da população o perímetro desta muralha mostrou-se insuficiente e a cidade do Porto expandiu-se para fora dos limites desta importante estrutura defensiva. No século XIV, a crescente importância sócio-económica da Cidade do Porto e a tentativa de invasão castelhana por parte de Afonso IX levou a que, em 1336, D. Afonso IV ordenasse a construção de uma nova Muralha capaz de proteger a população e os terrenos burgueses mais importantes. A muralha só fica pronta em 1370 no reinado de D. Fernando o que explica a designação de Muralha Fernandina. Abrangia uma área respeitável de 44,5 hectares, tinha 18 postigos e 9 metros de altura. Esta muralha ainda é visível perto do tabuleiro superior da Ponte D. Luís, nas Escadas do Caminho Novo e na ribeira portuense (onde se encontra o único postigo sobrevivente).

No cimo da Muralha



Escadas do Caminho Novo e a muralha à direita
foto daqui
Postigo do Carvão na Ribeira
foto daqui

O que muitos de nós não sabem é que é possível visitar a Muralha Fernandina e calcorrear  as suas fundações. Para tal basta seguir as indicações para a Igreja de Santa Clara perto do Elevador dos Guindais e entrar na porta à esquerda da entrada desta mesma igreja. Uma  vez nas muralhas, imaginem todas as histórias que aquelas pedras contariam, se pudessem, e apreciem as vistas para o Rio Douro e para as duas belas cidades que o circundam. Devo avisar-vos, no entanto, que não é possível visitar a muralha durante o fim-de-semana. 

Aquela pequena porta à esquerda de quem está virado para a Igreja de Santa Clara
Foto daqui
Bom passeio!

4 comentários:

Maria Monteiro disse...

Me gusta!

Quero ir à muralha. Leva-me!

Beatriz disse...

Com todo o gosto :D

Márcia Gonçalves disse...

Ah, finalmente! :D
Mais sítios a visitar! E que engraçado que eu já passei por um trecho da muralha, e nem sonhava que era uma muralha do século IX! :P

Beatriz disse...

Olha, nem eu! Por isso é que passear sem destino é bom, descobre-se todo o tipo de coisas :D